Muitas pessoas a consideram a estação a mais bonita do ano, e não é para menos: o clima mais úmido e quente e as flores embelezando as ruas. No entanto, esses dois fatores também são responsáveis por causar algumas doenças comuns na primavera.

Os problemas de saúde que apresentam maior incidência nessa época do ano são bastante variáveis, indo desde alergias até leptospirose e dengue. Continue a leitura, saiba quais são os principais e veja como tratá-los ou preveni-los. 

Doenças comuns na primavera causada pelo pólen

Conjuntivite alérgica

A conjuntivite é uma inflamação que deixa o olho vermelho e irritado. Pode acontecer em qualquer época do ano, no entanto, durante a primavera, há uma ocorrência maior em pessoas sensíveis ao pólen das plantas.

É difícil preveni-la já que o pólen fica disperso pelo ar, contudo, evitar flores dentro de casa, manter o ambiente limpo, as janelas fechadas — principalmente se houver árvores floridas perto da residência — e utilizar óculos escuros são atitudes que minimizam os riscos.

O tratamento deve ser feito com o auxílio de um profissional especializado, mas manter os olhos limpos e aplicar compressas de soro fisiológico reduzem o desconforto.

Rinite alérgica

Além da inflamação no olho, o pólen pode irritar as vias respiratórias causando a rinite alérgica. Seus principais sintomas são: coriza, espirro e incômodo no nariz, boca ou garganta.

Essa patologia é bastante comum em regiões em que as estações do ano são bem definidas. No Brasil, a ocorrência é maior no sul do país, porém, ela só atinge pessoas com predisposição genética.

As formas de prevenção são as mesmas da conjuntivite e o tratamento, geralmente, é feito com antialérgico. Dessa forma, é importante consultar um médico.

Doenças causadas pelo clima da primavera

Catapora

O aumento da temperatura na primavera faz aumentar a proliferação do vírus que causa a catapora, sendo bastante comum em crianças, especialmente nos meses de setembro a novembro.

Por se tratar de uma enfermidade contagiosa, os adultos que não tiveram catapora, ou que não foram vacinados na infância, podem apresentar os sintomas. Feridas na pele, febre e cansaço são os principais.

A prevenção é feita com a vacinação, que deve ser aplicada em bebês de 15 meses. A imunização faz parte da vacina tetra viral — disponível em clínicas particulares e pelo SUS — que além da catapora, também protege as crianças de sarampo, caxumba e rubéola, outras doenças comuns na primavera.

Leptospirose

A doença é causada por uma bactéria presente na urina de ratos que circulam pelas ruas e esgoto. Com o aumento das chuvas durante a primavera e o verão, as enchentes se tornam recorrentes trazendo os resíduos do esgoto para a superfície. Por isso, é fundamental evitar andar descalço na chuva ou locomover-se em áreas alagadas.

Os principais sintomas da leptospirose são dores no corpo e na panturrilha, febre, dor de cabeça, vômito e diarreia. Em casos mais graves o paciente apresenta icterícia, hemorragia e complicações renais.

As chuvas e o calor também aumentam a incidência da dengue, portanto, não deixe água parada em vasos, pneus, garrafas e outros objetos que podem servir de criadouro para os mosquitos.

Escarlatina

Essa é uma infecção contagiosa provocada por bactéria e que é transmitida por meio das gotículas liberadas no espirro, tosse ou fala.

A escarlatina é uma doença comum na primavera que atinge principalmente as crianças e causa dores no corpo, cabeça e garganta, aumento das papilas gustativas da língua, erupções na pele e febre.

Para a prevenção, deve-se evitar o contato com pessoas que apresentem os sintomas, já que ela é contagiosa. O tratamento normalmente é feito com antibióticos, sendo necessário a consulta com o médico ou o pediatra.

Como vimos, com alguns cuidados e prevenções é possível aproveitar a estação mais florida do ano sem risco para a saúde. Contudo, caso você ou alguém de sua família apresente uma das doenças comuns na primavera, é essencial procurar um médico para realizar o tratamento adequado.

A vacinação é fundamental para a prevenção de diversas doenças. Confira nosso próximo artigo e veja a importância das vacinas para adultos.