Medicar-se por conta própria é um costume que muita gente tem. Os riscos da automedicação são os mais variados e podem gerar complicações sérias para quem possui esse hábito.

Nem todo remédio é apropriado para todas as pessoas, o que pode causar problemas como reações alérgicas e, no caso de antibióticos, colaborar para que os micro-organismos que devem ser combatidos se tornem resistentes ao medicamento usado.

Ter consciência dos riscos da automedicação é fundamental. Continue a leitura e conheça 4 motivos que fazem desse costume algo muito perigoso!

1. O aumento da pressão arterial é um risco iminente

A hipertensão arterial (pressão alta) é um problema muito comum e que atinge uma parcela considerável da população. Nesta disfunção, há um aumento desenfreado na pressão responsável por fazer o sangue circular pelo corpo.

Alguns medicamentos podem colaborar para que a pressão arterial aumente de forma descontrolada. Os anti-inflamatórios são exemplos de remédios que causam esse problema e as pessoas não costumam se preocupar em utilizá-los quando sentem dores, principalmente musculares. Entretanto, é preciso ter muito cuidado e sempre seguir a orientação médica para fazer uso do medicamento adequado, em especial se a pessoa sofrer de pressão alta.

2. Reações alérgicas são muito comuns

Os médicos e os farmacêuticos são profissionais que conhecem as principais substâncias presentes nos remédios e, ainda assim, apenas o médico pode prescrevê-los. 

Entre essas substâncias que compõem os medicamentos, há sempre a possibilidade de existir alguma que pode gerar algum tipo de reação alérgica. Assim, antes de fazer uso de qualquer remédio, procure um médico. Ele vai analisar seu histórico, observando se já houve reações alérgicas, intolerância a alguma substância, entre outros fatores, de forma que possa recomendar o medicamento mais seguro e apropriado.

3. A desidratação é um dos riscos da automedicação

A desidratação é um problema silencioso e pode acometer pessoa que fazem uso de medicamentos muitas vezes considerados inofensivos. Um bom exemplo são os diuréticos, usados para desinchar e que fazem com que os líquidos sejam eliminados por meio do suor ou da urina. Geralmente são utilizados por quem está tentando emagrecer, diminuindo a retenção.

Em alguns casos pode ocorrer a desidratação, pois a pessoa perde líquido em excesso, o que pode levar a problemas mais sérios, como insuficiência renal. É importante lembrar que os sintomas do inchaço nem sempre são decorrentes da retenção de líquido.

4. Mistura de remédios pode gerar conflito entre substâncias

Outro problema comum da automedicação é a combinação inadequada de medicamentos, pois existe a possibilidade de que nenhum deles faça efeito. Além de não obter nenhum resultado em relação aos sintomas, que podem piorar, a combinação de medicamentos pode gerar vários tipos de efeitos colaterais.

A automedicação é um hábito perigoso e que pode acarretar problemas sérios. Lembre-se de que somente os médicos podem indicar e prescrever o uso de medicamentos. 

Este post foi útil? Esperamos que sim! Agora que você já conhece os riscos da automedicação, compartilhe este conteúdo em suas redes sociais para que mais pessoas tenham conhecimento deste assunto!