Hoje em dia, temos a nossa disposição uma infinidade de vacinas contra as mais variadas doenças que afligem o ser humano. Porém, infelizmente, há situações em que uma doença que pensávamos estar erradicada, volta de maneira inesperada e pega a população despreparada.

Entre essas enfermidades está a caxumba, que ressurgiu no Brasil nos últimos anos e tem exigido o dobro de atenção por parte da sociedade e da comunidade médica.

Pensando nisso, preparamos este post especial para que você conheça o que é a caxumba, quais seus sintomas, como é o tratamento, e algumas outras informações importantes sobre o assunto. Confira com a gente!

O que é a caxumba?

Conhecendo a doença

Causada por um vírus da família Paramyxovirus, a caxumba — conhecida também como papeira ou parotidite — é uma doença que atinge as glândulas parótidas, localizada entre o lóbulo da orelha e o maxilar.

A função das glândulas parótidas, junto com as glândulas sublinguais e submaxilares, está voltada para a produção de saliva e sua infecção causa um inchaço característico, gerando uma turgência em toda a região do pescoço.

Ocasionalmente, a doença afeta outras regiões do corpo, como testículos e ovários, provocando inchaço e esterilidade quando não é tratada. Em casos raros, ela pode afetar o sistema nervoso, causando meningite.

Transmissão e grupos de risco

A vacina da caxumba é amplamente aplicada há mais de 50 anos, e é distribuída gratuitamente nos postos públicos de saúde. Quem não está vacinado pode contrair a doença em qualquer fase da vida, embora isso ocorra com mais frequência entre crianças de 5 a 12 anos de idade, podendo afetar uma ou as duas glândulas parótidas.

Sua transmissão acontece de uma semana antes até uma semana depois do aparecimento dos sintomas, pelo contato direto da saliva contaminada pelos vírus ou por meio de gotículas provenientes das vias respiratórias ao tossir ou espirrar, por exemplo.

É comum aparecerem mais casos em épocas de inverno ou de início da primavera, quando o sistema imunológico fica fragilizado pelas temperaturas baixas ou pelas mudanças súbitas de clima.

Como se prevenir da doença?

A vacinação é o principal meio de se prevenir da doença, sendo dividida em duas doses: uma realizada aos 12 meses e a outra entre os 4 e 6 anos de idade.

Além disso, é importante não ter contato muito próximo com o doente, lembrando que objetos de uso compartilhado, como copos e talheres, devem ser desinfetados sempre que possível.

Uma vez que a pessoa tenha contraído caxumba, ela raramente ficará doente de novo, graças às nossas células de memória do sistema imunológico.

Quais são os sintomas da caxumba?

Ao contrair caxumba, o principal sintoma percebido é uma sensação de dor e endurecimento correspondente à glândula parótida, seguida do seu inchaço, já que a área fica muito inflamada.

Dentro de dois a três dias, as glândulas atingem seu volume máximo de inchaço — lembrando que não necessariamente os dois lados precisam estar afetados.

Além disso, o doente pode apresentar:

  • dores de cabeça;

  • náuseas e vômitos;

  • febre alta;

  • rigidez na nuca;

  • mal-estar;

  • dor muscular e no abdômen superior;

  • dores de garganta;

  • problemas para engolir;

  • perda de audição (permanente em casos graves);

  • fadiga intensa;

  • inflamação e inchaço de testículo e ovários, quando a doença atinge tais órgãos.

Como é feito o tratamento?

Por ser causada por um vírus, não existe nenhum medicamento que combata diretamente a doença. A pessoa deve seguir as recomendações do médico visando aliviar os sintomas enquanto o próprio sistema imunológico se encarrega de eliminar o problema.

Feito o diagnóstico pelo médico, ele recomenda o uso de anti-inflamatórios e analgésicos para aliviar a dor, além da realização de compressas quentes ou frias na área do pescoço.  O repouso é essencial, e o paciente deve comer alimentos moles e beber bastante água até que fique totalmente curado.

Na maior parte das vezes, os sintomas da caxumba são característicos e indicam a hora de você procurar um médico. Para evitar qualquer problema com a doença, vacine-se corretamente e, em caso de infecção, faça o tratamento seguindo as recomendações fornecidas.

Gostou do nosso post sobre os sintomas da caxumba e seus tratamentos? Deixe sua opinião nos comentários abaixo!