Um dos grandes avanços da medicina é, sem dúvida, a vacina. Por meio dela, campanhas de imunização estão conseguindo proteger milhões de pessoas. Estamos caminhando para o dia em que estarão erradicadas doenças como o sarampo, a rubéola e a poliomielite, popularmente conhecida como paralisia infantil. Como você procura cuidar bem da sua saúde e da saúde dos seus familiares, é fundamental entender a importância da vacinação.

Para isso, basta continuar a leitura deste post. Ele explica o que é uma vacina e sua importância, além de mencionar os riscos que se corre quando não se está imunizado. Siga conosco!

Saiba o que é uma vacina e a sua relevância

A vacina é uma substância que provoca uma reação no nosso sistema imunológico após a sua introdução no organismo. Essa reação incentiva a produção de anticorpos, que nos imunizam contra um agente infeccioso e as doenças causadas por ele.

O maior benefício de seu uso está no controle de doenças imunopreveníveis (que podem ser prevenidas com a vacinação), pois são mais eficazes do que os medicamentos disponíveis para isso.

A vacina é indispensável para a saúde pública, é segura e tem ação efetiva no controle e combate de doenças infectocontagiosas, reduzindo as chances de transtornos mais graves e óbitos.

Entenda a importância da vacinação

A vacinação é imprescindível para que você se previna contra diversas doenças infecciosas. É uma importante parceira da saúde, especialmente no período da infância e da terceira idade, pois não só protege esse público como impede os surtos das doenças.

Geralmente, as vacinas estão disponíveis o ano todo nas unidades municipais de saúde. É indispensável cumprir o Calendário Nacional de Vacinação para não precisar enfrentar contratempos desnecessários. Confira os benefícios da vacinação:

Combate epidemias

A imunização defende tanto a pessoa que se vacina como a comunidade. Ela diminui as probabilidades de epidemias e surtos das doenças. Assim, quanto maior for o número de pessoas vacinadas, menor é a possibilidade de se ampliar a contaminação.

O Brasil está na lista dos países que disponibiliza a maior quantidade de vacinas à população. São mais de 300 milhões de doses por ano (entre vacinas, imunoglobulinas e soros).

Diminui a taxa de mortalidade

Os programas de vacinação têm um impacto significativo na redução da mortalidade e morbilidade, prevenindo de dois a três milhões de mortes por ano em todo mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O nosso Programa Nacional de Imunizações (PNI), por exemplo, além de erradicar a varíola e a poliomielite, tem contribuído para o decréscimo dos quadros infecciosos e das mortes ocasionados pelo tétano, pelo sarampo, pela coqueluche, pela difteria e pela rubéola.

Conheça os riscos de não vacinar

Quem não se vacina arrisca a sua saúde e põe em risco a saúde e o bem-estar dos seus familiares, amigos e de todos com quem se relaciona ou tem algum contato. Além disso, colabora para que o trânsito de doenças aumente.

Muitas desses males são transmitidos por objetos infectados e pelas gotículas durante a fala, tosse ou espirro de alguém doente. Com isso, a possibilidade de surtos epidêmicos cresce significativamente e com consequências graves para a população.

A sua qualidade de vida e a das pessoas que você tanto ama está relacionada a uma série de fatores. Entre eles, entender a importância da vacinação e obedecer aos distintos calendários de vacinas: para as gestantes, para os recém-nascidos e crianças, para os pré-adolescentes e adolescentes, para adultos e idosos. Não se omita, evite a automedicação e busque orientação médica sempre que necessário.

Para receber diretamente no seu e-mail mais dicas e informações sobre cuidados com a saúde e medicina preventiva, é só assinar a nossa newsletter.