Acessar informações tem se tornado cada vez mais fácil, e isso graças à internet. A facilidade de acesso a diversos conteúdos pode ser muito benéfica, mas a insegurança com sintomas e diagnósticos tem induzido muitas pessoas a buscarem esclarecimentos sobre a saúde na web.

Sendo um hábito mais comum do que imaginamos, vamos ver se é correto pesquisar doenças na internet e como isso pode refletir em sua saúde. Acompanhe!

Cibercondria

Esse é o termo que denomina a hipocondria no âmbito digital, caracterizada pela procura das pessoas por respostas e diagnósticos sobre doenças e condições de saúde. Esse hábito está cada vez mais comum, e assim como pode auxiliar, também pode dificultar o trabalho de médicos na determinação das intervenções necessárias para o tratamento ou para a prevenção de doenças.

Fontes confiáveis

A busca por esclarecimentos pode levar a sites não tão confiáveis, possibilitando a exposição a informações errôneas e aguçando condições precoces como a ansiedade e até mesmo a depressão, que necessitam de acompanhamento psicoterápico.

Pesquisar doenças na internet pode ser conveniente para nortear sobre os próximos passos na busca por um profissional qualificado, mas isso não deve ser reconhecido como o diagnóstico final. Antes de tomar qualquer informação como verdade, é imprescindível avaliar as referências e a confiabilidade da página.

É importante destacar que sintomas e efeitos colaterais podem ser comuns entre inúmeras doenças descritas em fontes confiáveis, o que pode aumentar a chance de erro de interpretação.

Automedicação

As pesquisas deveriam ser feitas apenas para sanar dúvidas, mas em inúmeros casos podem resultar até mesmo em automedicação. Tal atitude pode agravar a condição existente e induzir a reações imprevisíveis e até mesmo de difícil reversão.

Tomar remédios por conta própria pode ocasionar consequências graves e até mesmo o desenvolvimento de distúrbios antes inexistentes. Dentre os sintomas mais comuns, é possível destacar as dores de cabeça e a febre. 

Caso se trate de antibióticos, a atenção deve ser ainda maior, pois o seu uso pode induzir ao aumento de resistência a microrganismos, acarretando diversas consequências e ainda dificultando a ação de outros medicamentos para tratar tal condição.

Dicas

Como pesquisar sobre doença na internet é um hábito que não será extinto, a seguir você obterá algumas dicas que lhe ajudarão a discernir quais sites apresentam informações seguras.

-Responsáveis:

Avalie se há órgãos ou empresas responsáveis pelos conteúdos postados no site. Os seus nomes podem ser referências em diversos âmbitos. Dessa forma, é válido identificar os envolvidos, inclusive caso sejam necessárias denúncias.

-Objetivo:

Assim como é primordial avaliar as empresas e órgãos vinculados à página, é pertinente também identificar qual o objetivo do endereço eletrônico. Faça uma análise minuciosa para saber se o site é informativo, comercial ou até mesmo institucional.

-Data de postagem:

Referindo-se a remédios tradicionais, pode parecer dispensável, mas é apropriado checar a data de inclusão das informações, para então identificar se os dados continuam relevantes e verídicos.

-Termos tendenciosos:

Assim como o uso de discursos pessoais, é interessante atentar para o uso de termos tendenciosos, como “todos”, “nenhum”, “cura”, “milagroso” e similares.

Tratamentos independentes

Tomar uma determinada medicação pode causar efeitos colaterais perigosos, mas insistir em tratamentos independentes pode oferecer consequências muito piores. A continuidade na ingestão de remédios e tratamentos pode provocar funcionamento irregular do sistema imunológico, além de outros perigos.

A combinação de medicamentos a longo prazo pode causar desgastes fisiológicos e até mesmo doenças crônicas. Não siga tratamentos de maneira independente: utilize fármacos apenas de forma fundamentada e após avaliação médica.

Questionamentos importantes

Por mais que os dados demonstrem veracidade, devemos sempre desconfiar das fontes e buscar avaliação médica para obter o diagnóstico correto. Lembre-se de que pesquisar sobre doenças na internet não é errado, desde que não induza a erros.

Obtenha informações relevantes e as utilize para esclarecimentos com o profissional adequado. Assim, será possível otimizar o tempo de diagnóstico e permitir que intervenções sejam feitas em tempo hábil.

E você, tem o costume de pesquisar doenças na internet? Deixe seu comentário contando suas experiências e dúvidas!