Cada fase da nossa vida pede nutrientes diferentes e por isso ter uma boa nutrição é fundamental para o desenvolvimento completo do organismo. Cultivar bons hábitos alimentares desde o início ajuda na manutenção da nossa saúde e por consequência uma melhor qualidade de vida.

Neste post você aprenderá a importância da boa alimentação nas quatro fases: infância, adolescência, adulta e idosa!

Boa nutrição na infância

Nos 6 primeiros meses de vida, o leite materno é o alimento mais completo e único para as crianças. Por isso a fase de amamentação é fundamental para garantir a quantia ideal de nutrientes para os bebês. Nesse período são administradas doses certas de sais minerais, vitaminas, proteínas, açúcares e gorduras. Isso sem contar que o leite materno é uma fonte rica de proteção contra infecções comuns na infância.

Quando a fase do desmame começa, a partir dos 6 meses, o leite materno já não supre as vitaminas e é preciso a introdução de alimentos complementares como tubérculos (batata, cenoura, mandioquinha), carnes, leguminosas, frutas, legumes e grãos (cereais e feijões), para ajudar no desenvolvimento geral e neurológico (ato de mastigar, engolir, digestivo e de excreção).

Adolescência

A adolescência, período que vai dos 12 aos 18 anos (Estatuto da Infância e Adolescência), possui diversas transformações comportamentais, psicológicas e físicas, que leva os jovens precisarem de quantidades extras de calorias. Nesse momento é de suma importância que tomem um bom café da manhã e aprendam o valor de um almoço completo.

Incentive-os consumirem boas quantidades de proteínas, como carnes magras, peixes, frango, queijos, ovos e iogurtes, a darem atenção aos carboidratos como batata, arroz, macarrão, pães e cereais, mas sem exageros e a ingerirem muitas frutas, legumes e verduras.

Nessa fase, a má alimentação ou a pouco ingestão de cálcio, zinco, ferro, vitamina A, E, B6 e ácido fólico, interferem na disposição física e mental e também podem afetar o crescimento e desenvolvimento dos jovens.

Fase adulta

Quando nos tornamos adultos, a vida corrida muda drasticamente nossa alimentação. Optamos por alimentos rápidos e práticos, rico em calorias e muitas vezes com doses elevadas de gorduras saturadas. Some essa alimentação desregrada com o estresse diário e sedentarismo e dê espaço a obesidade que facilita o aparecimento do diabetes mellitus e hipertensão arterial.

Nessa fase, é primordial que a pessoa mantenha uma dieta equilibrada, evite o consumo de produtos processados e dê preferência aos alimentos in natura. Para quem não consegue se alimentar bem, um nutricionista pode auxiliar gerando uma dieta variada com frutas, verduras, raízes, tubérculos, legumes, ovos, carnes, entre outros e que seja bem prática para fazer no dia a dia.

É importante frisar que o consumo exagerado de alimentos saturados deixa o nosso metabolismo mais lento e por consequência menos dispostos a prática de exercícios.

Terceira idade

Os hábitos alimentares na terceira idade também precisam ser bem regrados e o mais importantes: completo para suprir as necessidades de nutrientes. O corpo nessa fase pede mais ingestão de zinco, magnésio, cálcio, fósforo, ferro, vitaminas D, C e A.

Essas substâncias são facilmente encontradas nos legumes, peixes, carnes magras, nozes, derivados do leite, soja, amêndoas, castanhas, ovos, sardinha, cenoura, batata-doce, espinafre, tomate, pimentão, couve, brócolis, manga, limão, laranja, caju, mamão, acerola, kiwi, goiaba entre muitos outros alimentos.

Agora que já conhece a importância da boa nutrição em cada fase lembre-se de colocar em prática! E lembre-se que o acompanhamento de um nutricionista é fundamental para a inserção de alguns alimentos em nossa rotina e, ao contrário do que se pensa, sai mais em conta uma consulta com esse profissional do que a reposição nutricional em forma de fármacos. 

Siga-nos no Facebook e no Youtube e tenha sempre dicas e informações sobre como cuidar mais da sua saúde!